A vaidade do porta-voz

Tempo de leitura: 2 minutos

Vaidade em excesso é vício, algo condenado pelo exagero do culto ao corpo e/ou ao ego. A ação de ser vaidoso remete ao orgulho, à soberba, mas na linguagem popular o significado não é tão extremista assim e procura identificar como vaidoso o indivíduo que cuida da aparência, capricha no visual. E aí vem o questionamento: que nível de vaidade deve ter o porta-voz?

Durante os treinamentos é comum que o assunto suscite indignação para os dois lados: sempre tem alguém que diz que não liga pra isso e que prefere se vestir de forma bem simples (ou desleixada) e outro que admite ser pavão ou perua, reclamando da dose certa quanto ao quesito imagem pessoal.

Dose certa ou receita dependem somente da sua expectativa em relação ao que deseja que os outros pensem sobre você. É sempre bom refletir sobre a imagem desejada. A criação de uma reputação adequada começa aí, mas não é só isso. Depois que o porta-voz passa a representar uma marca e seu sobrenome vira a própria marca fica difícil – pra não dizer impossível – fazer tudo do mesmo jeito, sem precisar dar satisfações a ninguém.

Principalmente nos momentos em que for exigida a postura certa para dirimir crises, o porta-voz vai sentir o peso da responsabilidade de atuar como o garoto-propaganda.

Confira alguns passos para entender se a sua vaidade passou do limite:

1. Eleja parâmetros de comparação para concluir se está exagerando ou se falta a chamada vaidade mínima para se apresentar à imprensa ou quaisquer outros públicos, em nome da empresa que representa. Colegas de trabalho ou outros profissionais da mesma área de atuação podem servir de referência.

2. Mesmo sem quase nenhuma vaidade, o asseio é fundamental. Confira o suor excessivo, caspa, corte de cabelo sempre em dia e pele bem cuidada. As roupas também devem ter atenção especial. Se precisar, consulte uma consultora de moda/imagem para ajudar na escolha das peças que deixam você com uma aparência melhor.

3. Perfume forte e exagerado também deve ser evitado. Fique de olho na percepção das pessoas. Se já evitam te beijar ou passam longe quando você chega a um ambiente todo perfumado, como se tivesse tomado banho de perfume, tenha certeza de que passou da conta.

4. Seja amigo do espelho: ele é sua maior referência. Avalie com honestidade cada aspecto que pode contribuir para a formação da sua imagem e reconheça a possibilidade de mudanças. Só assim é possível crescer.

Mas a vaidade não está ligada unicamente à imagem externa. O que sai da boca de um porta-voz também pode denotar vaidade excessiva ou falta dela. Frases que sempre se iniciam com a primeira pessoa: “EU”, normalmente refletem uma pessoa vaidosa demais ou arrogante. Inclua as pessoas no seu discurso, quando for o caso: “A minha equipe conseguiu realizar ……” e evite: “Eu consegui realizar….”.

Tenha uma certeza: ninguém vai criar uma imagem errada de você, se contribuir para isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *